Renascendo com Jesus

Renascendo com Jesus

 

Edilson Botto

 

No início do século XIII, um jovem, filho de um rico comerciante, desfrutava das facilidades financeiras de que dispunha. Vivia em festas, banquetes e farras com os amigos. Seu pai desejava que o jovem tomasse gosto pelos negócios e o substituísse no seu comércio de tecidos, mas apesar de ter talento e, vez por outra, ajudar o pai, o jovem não se interessava pelo trabalho, preferindo seus divertimentos.

Como era comum naquela época, a sua cidade e uma outra próxima entraram em guerra e aquele jovem foi combater, sonhando em conquistar o título de cavaleiro e com isso fama e glória, entretanto a realidade foi outra. Sua cidade perdeu a guerra e o jovem passou quase um ano preso até que seu pai conseguiu libertá-lo. Fraco e abatido o jovem retorna para casa para um período de convalescença. Assim que estava recuperado o pai enviou o jovem para combater nas cruzadas e deu ao jovem uma bonita e cara armadura, para que assim ele já obtivesse destaque entre os cruzados. O jovem parte mais uma vez em busca do título de cavaleiro que lhe traria as honrarias tão desejadas. Durante um momento de calma, enquanto estava acampado junto de seus companheiros, o jovem começa a refletir sobre a sua vida, sobre seus ideais e sobre como tem vivido até então, neste momento aquele jovem descobre que sua vida tem sido vazia, que as festas, banquetes e farras não tem lhe trazido felicidade, que conseguir ser cavaleiro não o faria feliz. Neste momento ele abandona a armadura e decide voltar para casa em busca de um outro sentido para sua vida. No caminho de volta para casa, enquanto passava em frente à igreja de São Damião, que estava em ruínas, o jovem escuta um voz que lhe diz: “Francesco, Francesco, minha igreja esta em ruínas, reconstrói a minha igreja”. O jovem Francesco retornou para casa e seu pai o recebe com grande desapontamento, pois seu filho além de não ter se tornado um cavaleiro era um desertor.

O jovem, com o retorno para casa, passa a trabalhar com o pai e este, satisfeito com o trabalho do filho, deixa o comércio sob sua responsabilidade, pois precisava viajar para realizar negócios. Aproveitando a ausência do pai e lembrando da voz que ouvira durante o retorno para casa, o jovem vende os tecido a preços muito baixos e manda o dinheiro recebido para o pároco da igreja de São Damião, afim de que este possa reformar a igreja. O pai ao retornar fica furioso com a atitude do filho e julgando-o louco, prende-o em casa. Com ajuda da mãe o jovem foge, mas o pai manda prendê-lo e exige o dinheiro que perdeu de volta. O jovem diz que só aceita ser julgado pelo bispo, então o pai manda chamar o bispo que diz ao jovem que devolva o dinheiro ao pai, naquele momento o jovem Francesco toma a decisão que mudará toda a sua vida, diz que não só devolverá o dinheiro do pai mais também tudo que recebeu do pai até então, inclusive suas roupas e daquele momento em diante passa a viver uma vida dedicada aos mais humildes e necessitados. Essa história é um resumo da vida de Francesco Bernadone, mais conhecido como São Francisco de Assis e é também um dos mais extraordinários exemplos de mudança de atitude, de crescimento espiritual, de renascimento.

No capítulo IV, item 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo lemos a seguinte passagem: “Ora, havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este foi ter com Jesus, de noite, e disse-lhe: Rabi, sabemos que és Mestre, vindo de Deus; pois ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.  Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo"[1]. Conforme nos diz o texto é imprescindível o renascimento para que se possa alcançar o reino de Deus, entretanto este renascimento não é aquele da reencarnação, mas sim o renascimento de nossa conduta, de nossas atitudes que nada mais é do que a nossa reforma íntima, é ela que, como dizia o apóstolo Paulo, faz morrer o homem velho e nascer o homem novo[2]. Mas como realizar este renascimento? Qual o melhor caminho? Para encontrar esta resposta vamos iniciar consultando O Livro dos Espíritos na sua pergunta 919: “Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal? Um sábio da antigüidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.” Como podemos observar o passo inicial é o auto-descobrimento, é descobrirmos como estamos e quais são as nossas fraquezas, a partir dessa reflexão passamos a tomar consciência daquilo que precisamos corrigir em nós mesmos. É o início do processo de transformar o nosso orgulho em humildade, o nosso egoísmo em fraternidade, o nosso rancor em perdão, o nosso amor humano em amor divino.

Depois da fase de descoberta e conscientização vem a fase da mudança e para isso alguns instrumentos e atitudes são necessárias:

1.      Evangelho – Roteiro maior de todos que pretendem se modificar, através dele podemos descobrir qual o verdadeiro caminho a ser seguido e através do exemplo de Jesus podemos encontrar o modelo a ser seguido;

2.      Estudo – Além do Evangelho, a leitura de obras edificantes (Como o Livro dos Espíritos, a coleção André Luiz, entre outros), a participação em grupos de estudo, assistir palestras, tudo isso pode enriquecer nosso conhecimento, bem como esclarecer dúvidas;

3.      Higiene Mental – Procurar alimentar os bons pensamentos, através das boas leituras, dos bons programas de TV, da boa música, etc e conseqüentemente evitar o contrário. Aqui não vamos confundir com alienação, pois devemos estar informados do que acontece ao nosso redor, entretanto não necessitamos, por exemplo, saber os mínimos detalhes de um crime hediondo;

4.      Não se entregar à culpa – Esta é uma armadilha perigosa, pois muitas vezes, enquanto estamos nesse processo de crescimento, não aceitamos nossos tropeços, nossos deslizes, isso também é uma forma de orgulho, precisamos entender que somos ainda imperfeitos e que, portanto, somos passíveis de equívocos. Quando cometermos algum deslize, quando reincidirmos no equívoco, ao invés de nos sentirmos culpados, vamos nos sentir responsáveis, o que é bem diferente, e vamos procurar reparar o nosso engano, voltando ao caminho da renovação;

5.      Prece – Ferramenta fundamental nesta jornada, é ela que nós facilitará o acesso à ajuda da Divina Providência, que nos orientará e fortalecerá nos momentos de dúvida e fraqueza;

6.      Prática – De nada valerá todo nosso estudo, todo nosso empenho se não colocarmos em prática o que temos aprendido. O Evangelho é essencialmente convite ao amor, a caridade e ambos só podem ser compreendidos quando são vivenciados;

Não percamos a oportunidade de renascermos hoje mesmo, neste exato momento. O caminho da reforma íntima é longo, exige esforço, disciplina e dedicação, mas durante toda essa jornada Jesus estará conosco rumo ao nosso destino que é a verdadeira felicidade. A felicidade que o jovem Francesco Bernadone começou a descobrir a 8 séculos atrás e que nós podemos começar a descobrir, assim que começarmos a renascer com Jesus.

 

 

Fontes:

Kardec, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo – tradução de J. Herculano Pires. (2001) LAKE.

Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos – tradução por Renata B. da Silva e Simone T. N. B. da Silva. (1999) PETIT.

Angelis, Joanna de. Joanna de Ângelis Responde (Psicografado por Divaldo Franco.) (1999) LEAL.


[1] João 3, 1 a 3

[2] Efésios 4, 22 a 24

Anúncios

Sobre aricarrasco

sou simples mas co objetivos e convicções definidos.
Esse post foi publicado em Espiritismo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s