PSICOSE E REENCARNAÇÃO

PSICOSE E REENCARNAÇÃO

Cartões de crédito cancelados, cheques sem fundo a serem cobertos, explicações devidas no trabalho, desculpas a serem pedidas, lembranças intermitentes ( O que foi que eu fiz? ), amizades cortadas ou esvaziadas, um casamento terminado. E sempre: Quando isso vai acontecer de novo?. Quais dos meus sentimentos são reais? Qual dos meus ‘eus’ sou eu? O selvagem, o impulsivo, o caótico, o vigoroso e o amalucado? Ou o tímido, retraído, desesperado, suicida, cansado e fadado ao insucesso?"

O relato é de Kay Redfield, dentre Episódios da Doença Maníaco-Depressiva catedrático de Medicina em universidades norte-americanas e autoridade mundial nos Transtornos Afetivos.

Quando buscamos uma compreensão clara das doenças mentais, esbarramos num cipoal de definições de difícil consenso que reportam-nos à fala de Viana de Carvalho:

"Em face da complexidade e multiplicidade de tais desvios; uma classificação exata dos fenômenos psicóticos é sempre difícil … "

E o doente mental? Seguramente, como todos nós, é um transgressor das Leis Divinas, "doido", padecente de "dores mentais superlativas".

No presente trabalho, visamos à integração dos conhecimentos científicos às valiosas contribuições da Doutrina Espírita, buscando uma visão mais dilatada do caminho complexo das "psicoses".

"Transtornos" que são efeitos de causas incitas nesta e noutras existências, concluímos que a Lei de Ação e Reação age em sintonia com as Leis de Justiça que regem a vida universal, expressando-se na sua sintomatologia complexa e múltipla.

A reencarnação lança novas luzes à nosologia e ao diagnóstico das doenças mentais, em especial dos "transtornos psicóticos", e as terapêuticas convencionais, aliadas à aborda-

gem espírita, ampliam as possibilidades de tratamento das doenças mentais mais severas, limitantes e freqüentemente incapacitantes, dos relacionamentos interpessoais, da vida proofissional e das relações sociais.

1 – CONCEITUAÇÃO DAS PSICOSES

·"Doenças mentais de desestruturação profunda do pensaamento, podendo levar a alterações afetivas, cognitivas, de sennso-percepção, do juízo crítico da realidade, dispondo à perturrbação nas relações interpessoais e do comportamento". Oaspers)

·"0 significado tradicional do termo ‘psicótico’ enfatiza a perda do teste da realidade e o prejuízo do funcionamento mental – manifestado por delírios, alucinações, confusão e preejuízo da memória, desenvolvendo-se durante os últimos 30 anos, na utilização psiquiátrica comum, como sinônimo de graave prejuízo no funcionamento social e pessoal, com retraimennto social e incapacidade para desempenhar papéis ocupacionais domésticos e habituais. O grau de regressão do ego é usado também como critério para a ‘doença psic6tica’ C .. ) Devido a seus múltiplos significados, o termo perdeu a sua precisão clíínica nas pesquisas atuais". (Do livro: Porque Adoecemos, pág. 86, P edição).

2 – A VISÃO ESPÍRITA

Segundo o dr. Jorge Andréa, em Visão Espírita das Distonias Mentais: "As psicoses representariam os mais severos quadros das doenças mentais, com multiplicidade sintomática, quase sempre associadas em compilações psicológicas, de modo a traduzir graves e profundas lesões psíquicas(. .. ) São autênticas doenças da alma ou Espírito, em severas respostas cármicas, quase sempre demarcando toda a jornada carnaIC .. ) Os sintoomas, por não terem o devido esgotamento no campo do exausstor físico (personalidade), perduram e refletem-se em outra reencarnatóriaC .. ) Percebemos que estas energias mórbidas que necessitam obviamente de drenagem adequadas, exigem o conncurso de várias reencarnações para o seu escoadouro.

O doente mental sob a ótica espírita é seguramente um transgressor dos códigos çlas Leis Divinas e as desarmonias que se expressam nos sintomas psicóticos são respostas cármicas, efeitos de causas pregressas que exigem reabilitação compulsória. .

3 – CLASSIFICAÇÃO DOS QUADROS PSICÓTICOS

No livro Porque Adoecemos, o psiquiatra Roberto Lúcio Vieira de Souza propõe um quadro baseado no DMS – III (Maanual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais, da Associação Psiquiátrica Americana, ao qual introduzimos alguumas adaptações, baseadas no CID-10 – classificação de transstornos mentais e de comportamento). O termo "transtorno" exxclui o uso de "doença" ou "enfermidade" e é usada aqui para indicar um conjunto de sintomas clinicamente associados, na maioria dos casos, a sofrimento e interferência com funções pessoais.

Assim, a tradicional dicotomia neurótico – psicótico, que sustentava a antiga classificação das "perturbações mentais" desaparece.

Transtornos Orgânicos Psicóticos:

• Transtornos orgânicos psicóticos senis e pré-senis (demênncia). Ex.: Doença de Alzheimer (pode ter início precoce; maior incidência dos 65 aos 70 anos) .

• Transtornos psicóticos decorrentes do uso do álcool. .Transtornos psic6ticos decorrentes do uso de outras subsstâncias psicoativas (drogas: opióides, canabióides, cocaína, aluucinógenos etc.).

• Transtornos orgânicos psicóticos transitórios (distúrbios metabólicos, hipertireoidismo, febres, infecções).

• Transtornos psic6ticos decorrentes de doenças, lesões e disfunções cerebrais ("crônicas": Lesões do SNC, ‘ICE, disfunções cerebrais várias etc.).

• Transtornos psicóticos orgânicos ou sintomáticos não esspecificados.

• Transtornos psicóticos não atribuídos a condições físicas catalogadas anteriormente.

• Esquizofrenia (paranóia: delirante; hebefrênica – início entre 15 e 17 anos; catatônica – alterações psicomotoras; simmples).

• Transtornos de humor (Episódio-maníaco, Episódio Depressivo, Transtorno Bipolar).

• Transtornos delirantes (exclui Esquizofrenia paranóide, quadros orgânicos ou transtornos de humor).

– Persecutórios: Ex.: Todos riem à sua custa; é uma vítima de tramas etc.

– Hipocondríacos: seu corpo exala mal cheiro.

– Grandeza, Megalomaníacos: Ex.: Deus lhe ensinou a cura do câncer.

Diferem da Esquizofrenia paranóide porque, excetuando os delírios, o seu pensamento permanece sistematizado e lógico.

• Transtornos psicóticos com origem específica na infância (no CID 10 em Transtornos do Desenvolvimento Psicológico). Ex.: Autismo infantil; psicoses infantis, algumas síndromes, demência infantil.

(Baseado em: Porque Adoecemos e CID 10 – Classificação dos Transtornos Mentais de Comportamento).

4 – ABORDAGEM ESPÍRITA DOS TRANSTORNOS PSICÓTICOS

Quando abordamos a nosologia sob o enfoque da Doutrina Espírita, lidamos com hipóteses sustentadas pela visão científica, pelas observações clínicas e, ainda, pela valiosa contribuição dos autores espirituais. Não queremos fechar a questão, mas antes abrir o nosso campo de observação, buscando auxiliarmos mais seguramente e, sustentados no paradigma espírita, ampliarmos nossa compreensão para melhor auxiliarmos.

Os sintomas delirantes são explicados por Manoel Philomeno de Miranda, "sugerindo-nos" uma nosologia sob o enfoque espiritual: "O delito, que fica ignorado das demais pessoas, é conhecido do delinqüente, que o vitaliza com permanentes construções psíquicas, nas quais mais o oculta, destruindo a polivalência das idéias, que terminam por sintetizar-se numa fixação mórbida, que lentamente empareda o seu autor. Passam desconhecidos pelo mundo, esses gravames, que o eu consciente sepulta nos depósitos de memória profunda, ali permanecendo em gérmen, que irradia ondas destruidoras, envolvendo o criminoso ( … )

Irrompem como ‘depressões graves’ ou como ‘complexos de culpa’, com fundamento real para eles mesmos, que se tornam desconfiados, acreditando-se perseguidos e fazendo quadros de torpes alienações, caindo nas malhas da loucura, ou nos abismos do suicídio, artifícios que buscam para aniquilar os dramas tormentosos que os esfacelam interiormente. As cenas hediondas que fixaram, retornam, implacáveis, cada vez mais nítidas, sem que quaisquer novas paisagens se lhes sobreponham … " (Loucura e Obsessão, pág. 84)

O autor espiritual, ampliando a compreensão da doença mental, deixa-nos aberto o caminho para adentrarmos nos profundos meandros dessas distonias.

Outra hipótese sugestiva para a compreensão dos quadros psicóticos, nos é trazida pelo psiquiatra Jaider Rodrigues de Paulo em Porque Adoecemos e por achá-la lógica e esclarecedora passamos a examiná-la.

A – Psicoses orgânicas e sintomáticas – organomentais:

– Crescimento de uma lesão orgânica no cérebro resultando em massa tumoral; atrofia da massa encefálica com alterações do SNC, os TCE. (traumatismos crânio-encefálico); qualquer perturbação do SNC por lesão levando a alterações mentais.

Não havendo negligência do indivíduo (imprudência), conduta irresponsável sugere que é problema cármico.

– Impregnação do SNC por substâncias tóxicas (drogas, venenos, outros). Geralmente desaparecem os sintomas cessando a causa desencadeante.

Se permanecem após a cessação da causa ou após curto período de utilização, há provável adoecimento por predisposição mórbida. (Ex.: Psicoses esquizofrênicas desencadeadas por drogas).

– Oligofrenia – deficiência mental- com comprometimentos da massa encefálica.

Pessoas inteligentes que lesaram seu patrimônio mental pelo mal uso dos atributos psíquicos.

B – Psicoses senis – demências.

Os de conduta exemplar, de vida regular, sem excessos, trata-se do provável fim de débito cármico.

Os usuários de drogas, alcoolistas e excessos de toda ordem, débito cármico em andamento.

C – Psicoses onde não predomina organicidade:

"Aqui o agente causal está no Perispírito, pois o corpo físico é modelado por ele ( … ) A lesão encontra-se em outras dimensões da vida,. .. ) em elementos mais profundos, em especial no corpo mental ( … ) "

– Esquizofrenia – segundo o dr. Jaider, o esquizofrênico genuíno deve portar lesão no corpo mental, de maneira que mesmo no plano espiritual esteja esquizofrenizado.

O dr. Bezerra de Menezes faz as seguintes considerações sobre a esquizofrenia:

"O esquizofrênico ( … ) não tem destruída a afetividade, nem os sentimentos; somente os mesmos sofrem dificuldades para ser exteriorizados, em razão dos profundos conflitos conscienciais, que são resíduos das culpas passadas. E porque o Espírito se sente devedor, não se esforça pela recuperação, ou teme-a, a fim de não enfrentar os desafetos, o que lhe parece a pior maneira de sofrer do que aquela em que se encontra. Nesses casos, pode-se dizer, ( … ) que a esquizofrenia se encontra no paciente, de forma latente, pois que, acentuamos, é-lhe imposta desde antes da concepção fetal."

"Rigidez, desagregação do pensamento, idéias delirantes, incoerência, são algumas alterações do comportamento esquizofrênico, originadas nos recessos do Espírito que, mediiante a aparelhagem fragmentada, se expressa em descontrole, avançando para a demência, passando antes pela fase das alucinações, quando reencontra os seus perseguidores espirituais que ora vêm ao desforço. Sejam, portanto, quais forem os fatores que propiciam a instalação da esquizofrenia, ( … ) o que desejamos é demonstrar que o Espírito culpado é o responsável pela alienação que padece no corpo, sendo as suas causas atuais conseqüências diretas ou não do passado."

"Afetando o equilíbrio da energia espiritual que constitui o ser eterno, a consciência individual imprime, nas engrenagens do perispírito, os remorsos e turbações, os recalques e conflitos que perturbarão os centros do sistema nervoso e cerebral, (. .. ) mediante altas cargas de emoção descontrolada, que lhe danificam o complexo orgânico e emocional."

"Noutras vezes, desejando fugir à sanha dos inimigos, o Espírito busca o corpo como um refúgio, no qual se esconde, bloqueando os centros da lucidez e da afetividade, que respondem como indiferença e insensibilidade no paciente de tal natureza." (FRANCO, Divaldo P; MlRANDA, Manuel P. Loucuras e Obsessão)

– O esquizofrênico não tem destruída a afetividade e nem os sentimentos. Tem a dificuldade de exteriorizá-los devido a conflitos conscienciais, resíduos das culpas passadas (esquizofrenia latente) .

– Rigidez, desagregação do pensamento, idéias delirantes, incoerência têm origem nos recessos do Espírito.

– Alucinações reencontro com os perseguidores espirituais. "O Espírito culpado é o responsável pela alienação que padece."

– Fuga da sanha dos inimigos (o corpo é utilizado como um refúgio). Bloqueia os centros da lucidez e afetividade; reage com indiferença e insensibilidade.

– Psicopatas (distúrbios de caráter): imediatistas, primitivos nas emoções, rebeldia que se expressa na revolta, cruéis, irresponsáveis, com pouca consciência moral reflexiva; egoísmo extravagante. (André Luiz em No Mundo Maior: Perversidade é Loucura. Em Mecanismos da Mediunidade: " … esses indivíduos vêm diretamente do Umbral para a reencarnação")

– Psicoses leves ou limítrofes: Apresentam distúrbios compatíveis com quadro psicótico, mas guardam certa lucidez. Podem estar em fase final de desequilíbrio do corpo mental ou no início de desestruturação da mente.

– Autistas: O dr. Bezerra em Loucura e Obsessão elucida: " … Espíritos há que buscaram, na alienação mental através do autismo, fugir às suas vítimas e apagar as lembranças que os acicatam, produzindo um mundo interior agitado ante uma exteriorização apática, quase sem vida. O modelador biológico imprime, automaticamente, nas delicadas engrenagens do cérebro e do sistema nervoso, o de que necessita para progredir: asas para a liberdade ou presídio para a reeducação".

Alienação mental indica fuga das vítimas do passado culposo. A exteriorização é apática, quase sem vida.

– Obsessão: No livro: A Loucura sob Novo Prisma, esclarece-nos o dr. Bezerra acerca de loucura por obsessão espirítica: " … Embora a loucura por obsessão não dependa de lesão cerebral, pode esta lesão vir a dar-se por causa da obsessão ( … ). A lesão não é causa, mas pode vir a ser efeito. A ação fluídica do obsessor sobre o cérebro, se não for removida a tempo, dará necessariamente, em resultado, o sofrimento orgânico daquela víscera, mais profundo, quanto mais tempo estiver sob a influência deletéria daqueles fluidos".

5 – TRATAMENTO E CONCLUSÕES

"As exulcerações da alma são de gênese profunda, em conseqüências doridas no seu processo de cicatrização( … ) Cristalizações de longo período, no inconsciente, não podem ser arrrancadas em algumas palavras e induções psicológicas de breve duração ( … ) Além dos muitos cuidados exigíveis, o tempo é fator de alto significado, para os resultados salutares que se desejem alcançar."

É importante observar que o diagnóstico bem direcionado é fundamental à orientação das medidas terapêuticas adequadas. Inúmeras condições orgânicas podem simular sintomas psicóticos. O hiper e o hipotiroidismo, por exemplo, podem gerar sintomas semelhantes aos transtornos do humor.

As terapêuticas utilizadas nos transtornos psicóticos situam-se em diferentes níveis de profundidade quanto à sua atuação:

• Medicamentosas: louvamos os esforços médicos na terapêutica medicamentosa que, em muitos casos, alivia os sintomas, mas não pode acessar as causas reais, que residem na consciência culpada. Todavia, alivia a constrição mental, oferecendo ao indivíduo condições de "pensar e sentir-se desembaraçado".

• Psicoterapias: individual, familiar, grupal e terapia ocupacional – sempre que possível auxiliar o doente mental a recuperar os princípios nobres, os estímulos à mudança e à auto-corrigenda.

• Terapêutica espírita: somente uma terapêutica de profundidade é capaz de acessar pacientemente as delicadas tessituras do modelo organizador biológico, restaurando o seu equilíbrio danificado, que se expressa nos transtornos mentais de natureza orgânica, não-orgânica e obsessiva, a terapêutica do Espírito eterno.

6 – CONCLUSÃO

A vontade, a gerente esclarecedora e vigilante da vida mental, a grande propulsora, a força motriz do Universo, é a impulsionadora à autocura. Acionando-a, rumamos à saúde plena.

Jesus convida-nos a sair das nossas "paralisias" e caminhar ao encontro da saúde integral na figura simbólica do paralítico do lago de Betesta. Ele diz: "Vai, toma da tua cama e anda … " Concluindo com Calderaro, em No Mundo Maior: "Em nossso campo de observação mais clara, podemos adir que todo desequilíbrio promana do afastamento da Lei".

Rosemeire Simões – Saúde e Espiritismo=A.M.E.

Anúncios

Sobre aricarrasco

sou simples mas co objetivos e convicções definidos.
Esse post foi publicado em Espiritismo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s