UM NOVO HUMANISMO E O ESPIRITISMO

UM NOVO HUMANISMO E O ESPIRITISMO
Escreve: Almir Del Prette
Em: Agosto de 2010

http://www.viasantos.com/pense/arquivo/1273.html

 

Desenrola-se em nosso tempo uma luta formidável entre duas forças antagônicas. Os que desejam uma mudança profunda em nossa maneira de viver, em que o homem se torne mais livre e, portanto, mais capacitado para amar e os que desejam manter o “status quo” presente em favor dos valores que defendem.

 

Os que lutam por mudar pacificamente são em quantidade mais fracos, porém, mais conscientes. A consciência daquilo que desejam é a grande arma de que dispõem.

 

Os adversários das mudanças combatem em nome da “democracia”, da “ordem”, da “propriedade”, da “religião” etc., mas ainda que, sinceros e convencidos desses valores, recusam-se obstinadamente e irracionalmente a aceitar a crítica de que não temos essa vivência real.

 

Há uma terceira força. Essa é a força do desespero e do ódio. Os engajados nesse quadro aparentam uma grande coragem. Entretanto, não resistem a uma análise mais profunda e objetiva. Revela em muitos não um destemor para enfrentar a morte, mas sim um medo de viver e um sentimento antivida. Essa força do desequilíbrio, certamente encontra-se inserida em nosso contexto social.

 

O homem do nosso tempo não sofre frustrações comuns à era vitoriana. A frustração do homem moderno é uma frustração existencial. Isto porque todo o impulso que o levaria a uma plenitude vivencial é barrado e canalizado para outras direções, conforme determina a estrutura social.

 

Hoje poderíamos falar em determinismo social — o homem vale como peça da sociedade e é parte ativa construtora e mantenedora do esquema produção-consumo.

 

A problemática atual, o homem e a sociedade, ao contrário do que se pensa, é profundamente vinculada à ideia religiosa.

 

A religião, ou mais especialmente, líderes religiosos estão fecundando todas as atividades humanas de um novo humanismo. Vemos brotar em toda parte os ideais de fraternidade e renovação social. Somente por essa atuação constante, corajosa e essencialmente amorosa que a humanidade fará juz à assertiva messiânica: “Bem-aventurados os mansos e pacíficos, porque herdarão a Terra”.

 

O Espiritismo se acha também fecundado desse novo humanismo. Kardec aceitava esse humanismo não como uma propriedade exclusiva da Doutrina dos Espíritos, mas como um movimento renovador que estaria em toda parte: “A nova geração marchará, pois, para a realização de todas as ideias humanitárias compatíveis com o grau de adiantamento a que houver chegado. Marchando o Espiritismo para o mesmo objetivo (1) e realizando suas finalidades, ambos se encontrarão sobre o mesmo terreno”. (2)

 

É curioso notar que Kardec aceitava uma espécie de “determinismo de renovação” para a humanidade: “Não é o Espiritismo que cria a renovação social, “é a natureza da humanidade que faz de tal renovação uma necessidade”. (3). Assim, para Kardec, se o Espiritismo realizar suas finalidades encontrará o movimento de renovação espalhado nas atividades humanas, sobre o mesmo terreno.

 

Toda renovação há de ser em essência e não na aparência. Então, devemos começar pela base.

 

Qual a base do movimento espírita em nossa atualidade? Sem dúvida alguma, as instituições espíritas. Essas instituições devem, portanto:

 

— Primar pela justiça social em seus próprios quadros, àqueles que trabalham devem receber remuneração condigna e participação democrática nas decisões que dizem respeito às suas tarefas;

 

— Desenvolver a liberdade humana, respeitando todo direito de crença e política do assistido ou funcionário;

 

— Promover a hierarquia natural ou burocrática, no sentido de engrandecer os comandados e não amesquinhá-los;

 

— Transformar as tarefas existentes em trabalho de equipe, aceitando a opinião de técnicos e entendidos, seja nas realizações comuns ou nos empreendimentos maiores;

 

— Substituir a fé simples da aceitação de decisões tomadas por espíritos-guias nas sessões da casa por, primeiramente, reuniões de cooperadores e funcionários e, depois, então o diálogo franco e leal com os espíritos, quando a razão prevalecerá na aceitação desta ou daquela sugestão do plano espiritual.

 

Essa reformulação nas instituições espíritas é imperiosa (… “se não fizerdes mais do que os gentios que mérito tereis?”), tão imperiosa que poderá mesmo depender em grande parte para a preservação do movimento espírita.

 

Ao espírita cabe também a grande opção: o conformismo mantenedor do “status quo”, o inconformismo improdutivo, gerador de reações violentas, ou a busca da plenitude existencial que compreende um programa de excursão na complexidade do eu; uma atitude corajosa ante a injustiça social; uma desafiadora fuga à escravização da posse exclusivista; um domínio sobre si próprio ante o condicionamento manipulador de emoções dirigido por elites dominantes; um esforço verdadeiro, sem fanatismo, para dominar tendências menos sadias; um desejo real para viver — com um real sentimento de felicidade por existir.

 

Notas
(1) Todos os grifos nos pertencem.
(2) Allan Kardec – A Gênese, Edição Lake, pág. 356.
(3) Idem – pág. 357.

 

Fonte: Revista Internacional de Espiritismo – Matão-SP.

 

Almir Del Prette, psicólogo e professor universitário com doutorado em psicologia pela USP, é pesquisador nível I do CNPQ, com vários artigos publicados em periódicos especializados.
E-mail:
adprette@power.ufscar.br

 

 

 

 

Com esta mensagem eletrônica

seguem muitas vibrações de paz e amor

para você

———

http://www.aeradoespirito.net/

Anúncios

Sobre aricarrasco

sou simples mas co objetivos e convicções definidos.
Esse post foi publicado em Espiritismo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s