O MOMENTO DO ÊXTASE SEXUAL

O MOMENTO DO ÊXTASE SEXUAL

 

 

Um homem e
uma mulher fazem o sexo, o ato em si. Vem no final o momento do êxtase, que
chamamos de o gozo final do sexo. Claro que ele é muito variável, mas todos o
conhecem e sabem como ele é. Até aí, tudo bem, mas quem poderia se preocupar com
ele e perguntar? Pra que serve? Qual sua finalidade? Porque sentimos este
prazer?

 

Vamos
tentar colocar alguma coisa sobre um estudo desenvolvido por Jorge Andréa, um
espírita e estudioso.  Disse ele que o
sexo  é trocar energias. É energético e
tem respaldo na própria vida. Lembro-me que Divaldo disse que sexo é energia
apenas e que o amor é sentimento. Os animais fazem sexo e não sentem amor, não
tem o sentimento. Então, o sexo é apenas energia, troca e jamais um sentimento
de amor.

 

A ciência
já percorreu muito superficialmente este tema, mas foi talvez Freud quem mais se
aprofundou no tema, só que sempre na parte física sem conseguir ir mais fundo da
questão, ou seja, na base de tudo, a própria vida.

 

É muito
difícil analisar o momento do êxtase tomando por base os estudo da psicologia. O
que acontece nesta hora na parte física, ou seja no corpo, e que é ligado ao
consciente, ou seja, ao nosso psiquismo, não chegaríamos a muita informação
porque ainda assim teríamos varias perguntas.

 

Tentando
colocar com palavras de fácil entendimento, eu diria que o sexo em si, ou seja o
momento do gozar, é uma reação da vida e atende a necessidade da procriação. É
um mecanismo de troca de energias entre dois seres. O homem e a mulher, precisam
para se completarem de troca destas energias. As vezes as nossas energias se
encontram ora em uma posição feminina e ora na masculina e precisam se juntarem
para que a evolução aconteça. Isto que dizer o seguinte: nós somos energias em
constante atração um pelo outro e diante de várias reencarnações, vamos
aprendendo e adquirindo independência.

 

O sexo é
uma força. No inicio ele predominava apenas como sexo pelo sexo, mas a medida em
que o homem foi se espiritualizando e as forças espirituais foram se sobrepondo
às forças sexuais,  o homem foi
aprendendo eliminar a questão do sexo sem sentido. Isto quer dizer que quando
você tem  o gozo final, pode saber que
ele não está apenas como um prazer carnal e sim como algo muito maior. Ele está
abastecendo o espírito, a alma. Quando é apenas o sexo em si, sem a preocupação
do espiritual, então o gozo em si só vai atingir a parte física, ou seja o
corpo. Seria apenas uma descarga simples de energia.

 

Entender
este mecanismo, não é apenas ter cultura mas sim estar num grau evolutivo maior
que o normal entre os homens.  Muitos
querem abandonar vícios, paixões e até conseguem através de castidade, pobreza,
obediência, mas este tipo de atitude acaba só fazendo que a animalidade perca a
luta, só que se você  não souber
reconstruir ao mesmo tempo a perda destes sentimentos, colocando em seus lugares
coisas de qualidade espirituais, você acaba perdendo a luta e tudo será em vão
em termos de crescimento. Na verdade, as paixões não deveriam serem extintas mas
sim saber utiliza-las e com elas construir algo bom para evoluir.

 

Dois seres
ajustados e numa sintonia adequada quando no sexo, alem de estarem trocando
energias e se abastecendo, também estariam dando a oportunidade para uma
reencarnação necessária. Claro que nem todo o momento, ou seja, todo o sexo e
todo o gozar estará trazendo uma reencarnação, mas com certeza, se ele é
harmonioso, abre um campo energético positivo, um foco atrativo que convida
espíritos afinados com os pais para que possam iniciar todo o processo da
reencarnação.

 

Mas,
quando por algum motivo da mãe ou mesmo do pai, os motivos seriam vários, o sexo
ajustado,  não atenderia o processo da
reencarnação, abre então sempre portas positivas para que o amor faça alcançar
momentos de fraternidade e sirva no convívio familiar para muitas outras
coisas.

 

O grande
problema que insiste em ficar entre os casais, é a questão do sexo só pelo sexo,
ou seja, o homem, quase sempre esquece que a mulher é a companheira e que
naquele instante, espera dele, muito mais do que o prazer carnal. Espera
carinho, afeição palavras doces, enfim, coisas que nutrem o espírito. Muitas
vezes até mesmo a própria maneira de se olhar durante o sexo diria muita
coisa.

 

O grande
problema do homem é achar que a mulher para o sexo, é apenas um objeto onde ele
se satisfaz e vira para o lado e só lembrará dela quando a vontade voltar. A
questão do sexo é muito maior que isso. A mulher espera tudo do “antes”, e
principalmente o “depois”.

 

Não dá pra
dizer que o ser humano que age da forma acima citada, ou seja, que comete os
erros e trata o parceiro como um objeto, não ame, mas é preciso definir que este
amor não é um amor completo porque fora do sexo, ser carinhoso as vezes,
respeitar, cuidar etc…nunca é sinônimo do amor que o parceiro (a) espera.
Então é preciso dizer que muitos casamentos acabam exatamente pelo fato da falta
do sexo com amor. Muitos homens ou mulheres convivem desta forma.

 

Todo ser
humano que age desta forma, tem a sua energia sexual situada apenas na
periferia, age pelos instintos e há os que já sentem o sexo mais no centro de
sua alma.

 

Fica então
claro que muitos de nós, apesar de entendermos que o sexo deve ser o melhor
possível e conter todos os ingredientes do amor, ainda assim, se deixamos levar
pelos anseios da paixão, dos desejos carnais e nos iludimos apenas com a
satisfação do corpo…o momento do êxtase………….

 

Coloco
agora um pequeno trecho que recebi pela Net, falando do amor:

 

Quando o
amor está mesclado com os impulsos do instinto e dos desejos, nós o encontramos
sob o nome de Paixão. Quando o amor traduz afinidade, carinho e respeito mútuo,
nós o chamamos de Amizade. Quando o amor resvalar pelos caminhos áridos do ciúme
e da posse, ele aprisiona e é quando encontramos o Apego. Quando o amor liberta,
nós o chamamos de Renuncia. Quando o amor ainda está fechado em si mesmo, como
semente escura e enclausurada, nós o chamamos de Egoísmo. Quando o amor se
expande como um sol ardente, em benefício do semelhante, torna-se divino e o
chamamos de Caridade. O ódio é apenas a ausência do amor, assim como a sombra é
a ausência de luz, ou então…é o amor traído e por isso mesmo,
tempestuoso.

 

O amor é como o
sol, está por toda a parte, a diferença está na maneira como o refletimos. O
amor é a força que une os mundos, até mesmo, mundos tão diferentes, como o
nosso. Ele está presente nos pequenos seres e até nos recantos mais escondidos
do coração. Quando nos afastamos deste amor, sentimos o frio e a infelicidade na
alma. Esta é a lei da vida. Estamos imersos neste amor. Vivemos dele e é para
ele o destino de todos nós.

Estudo realizado com as fontes:
Forças Sexuais da Alma.

Anúncios

Sobre aricarrasco

sou simples mas co objetivos e convicções definidos.
Esse post foi publicado em Medico / Espírita. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s