UM TERRÍVEL MAL

UM
TERRÍVEL MAL

Redação do Momento
Espírita

http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=632&let=T&stat=0

 

Desde que a bebida alcoólica foi descoberta, o beber passou a
ser um ato facilmente assimilável pelos jovens adolescentes e futuros adultos.

 

Em torno do ato de beber criou-se uma aura de magia, como se ele
fosse a resposta para os problemas existenciais.

 

Na mitologia, Baco, considerado o deus do vinho, dizia que quem
bebesse aquele líquido sagrado ficaria possuído por poderes divinos.

 

Surgiram festas de orgia chamadas bacanais, regadas a muito
álcool e com elas, a violência. Hoje, a ação do álcool influencia milhares de
pessoas.

 

Algumas dizem beber para se divertirem, relaxarem, outras para
adquirirem coragem. Todas se matando lentamente.

 

O álcool provoca, em alguns, relaxamento, agressividade,
descontrole emocional, em outros, alegria desmedida e desinibição.

 

O seu uso contínuo provoca a dependência física e é reconhecido
pela organização mundial de saúde como uma doença.

 

No Brasil as estatísticas apontam aproximadamente quinze milhões
de dependentes do álcool. Uns dependentes leves, pessoas que bebem quase todos
os dias até três doses.

 

Outros, dependentes moderados, os que bebem diariamente até três
doses e nos finais de semana bebem de forma exagerada. Finalmente, os
dependentes graves, que bebem sempre. São os que apresentam uma série de
transtornos se a bebida lhes faltar, desde tremores até ansiedade.

 

Em nosso país, o alcoolismo é um dos maiores problemas de saúde
pública.

 

Preocupados com os números crescentes de alcoólatras, os
conselhos comunitários de segurança estabeleceram algumas regras que definem
como os pais criam um alcoólatra infantil:

Comece na infância a molhar a chupeta no copo de cerveja e dar
ao seu filho. Ache graça nas caretas que ele fizer.

 

Quando ele quiser mais bebida alcoólica, continue dando.

 

Nunca lhe dê orientação. Não pode, pois faz mal.

 

Quando ele estiver bebendo, apoie, ache graça.

 

Beba sempre com ele.

 

Dê-lhe dinheiro para beber com os amigos.

 

Satisfaça todos os seus desejos, principalmente o que diz
respeito a bebidas caras.

 

Quando ele estiver caindo de bêbado, dê apoio total…

 

Quando se meter em alguma encrenca, dê esta desculpa: nunca
consegui dominá-lo.

Depois de seguir todas essas regras, prepare-se para uma vida de
desgosto. É o seu merecimento justo por você ter conseguido formar mais um
alcoólatra para o mundo.

 

* * *

 

Cuidemos da nossa saúde e da dos nossos filhos. Aprendamos e
ensinemos a não desperdiçar as bênçãos do corpo.

 

O corpo físico é um bendito talento que deve ser bem utilizado a
fim de que possamos subir os degraus da evolução que perseguimos.

 

Respeitemos esse talento bendito que o Criador nos ofertou na
terra.

 

Vivamos o nosso dia-a-dia com a visão de que somos os grandes
responsáveis pelo estado geral de doença ou de saúde do nosso corpo
físico. 

 

Redação
do Momento Espírita com base no cap. 29 do livro Para uso diário, pelo Espírito Joanes,
psicografia de Raul Teixeira, ed. Fráter.

Em
28.06.2010.

 

www.momento.com.br

 

* * *

 

INTOXICAÇÃO
AGUDA PELO ÁLCOOL/ EMBRIAGUEZ

 

A embriaguez ocorre quando se ingere grande quantidade de
bebidas alcoólicas num curto espaço de tempo.

 

Os efeitos do álcool dependem da sua concentração no sangue.

 

Possíveis efeitos imediatos da embriaguez: excitação,
agressividade, ansiedade, aceleração dos batimentos cardíacos, descoordenação
motora, náuseas, discurso lento e arrastado, vómitos, confusão, sono profundo,
coma e eventualmente a morte.

 

A pessoa em estado de intoxicação aguda está incapaz de conduzir
ou trabalhar. No entanto, devido à perda de sentido crítico, é frequente
pessoas com excesso de álcool ou embriagadas não se inibirem de o fazer
colocando em risco a sua vida e a dos outros.

 

ABUSO DO ÁLCOOL E DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL (ALCOOLISMO)

 

A ingestão excessiva e habitual de bebidas alcoólicas, muitas
vezes em pequenas doses, mas repetidas ao longo do dia, vai mantendo uma
alcoolização permanente do organismo e uma situação de intoxicação alcoólica
crónica que, se for frequente e prolongada poderá originar uma situação de
dependência.

 

Desta forma, existe um efeito tóxico contínuo sobre os órgãos do
corpo, que pode provocar graves problemas de saúde.

 

A pessoa pode abusar do álcool sem saber, tratando-se de um mero
consumo excessivo, ou então tratar-se de uma dependência, tornando-se o álcool
na primeira obsessão da sua vida.

 

ALTERAÇÕES FÍSICAS PROVOCADAS PELO CONSUMO DE ÁLCOOL

 

A nível do aparelho digestivo: esofagites e gastrites, úlceras,
hepatites alcoólicas, esteatose hepática, cirrose hepática, pancreatites,
sindroma de má absorção.

 

A nível neuromuscular: "formigueiros", adormecimento
dos dedos, cãibras, dores e cansaço muscular, tremores das mãos, atrofia do
nervo óptico que pode levar à cegueira.

 

A nível mental e psicológico: dificuldades de raciocínio, perda
de memória, demência, irritabilidade, depressão, delírio alcoólico, … e
ainda,

 

Anemias, estados de desnutrição e avitamínicos; doenças
cardiovasculares e respiratórias diversas; doenças de pele; esterilidade e
perturbações sexuais; aumento da probabilidade de cancro: no fígado, boca,
esófago, estômago, cólon, mama

 

Agravamento das situações infecciosas: gripes, pneumonias,
tuberculose pulmonar, hepatites virais,… e ainda, quem consome bebidas
alcoólicas em excesso tem uma diminuição da esperança de vida e

um envelhecimento
precoce.

 

SÍNDROME DE DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL

 

O alcoolismo (síndrome de dependência do álcool) é uma situação
de dependência física e psicológica do álcool.

 

A pessoa dependente passa a viver em função do álcool,
desvalorizando aspectos essenciais da vida, como a família, o trabalho e os
amigos, desprezando a saúde e, inclusivamente, a própria existência.

 

Como o álcool assume o centro da vida da pessoa dependente,
torna-se extremamente difícil controlar o consumo. Quando a pessoa entra neste
quadro está gravemente doente e a sua recuperação exige grande esforço de si
próprio e dos que lhe estão próximos. Deve abster-se de tomar bebidas
alcoólicas durante o resto da sua vida.

 

 

O
ALCOOLISMO É UMA DOENÇA!

 

Por todas as razões apresentadas, o alcoolismo (e mesmo o
consumo excessivo de álcool) deve ser considerado uma doença. As pessoas nestas
situações estão a sofrer profundamente, embora por vezes consigam esconder ou
iludir esse sofrimento.

 

Por outro lado, verifica-se uma perda parcial ou total do
controlo sobre os consumos, e sobre a própria vida, que exige uma ajuda
especializada para o tratamento e recuperação.

 

Recuperar é um processo difícil e demorado, que exige do
próprio, dos seus familiares e dos colegas, equilíbrio entre a compreensão e a
firmeza.

 

Para saber mais

http://www.cras.min-saude.pt/Brochura.pdf

 

 

 

089a01cb50dd$906a9650$0500000a@elionotebook

 

Anúncios

Sobre aricarrasco

sou simples mas co objetivos e convicções definidos.
Esse post foi publicado em Espiritismo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s