A arte de doar.
Quando ofertarmos, possuímos.
Quando recebemos, tornamo-nos devedores.
A felicidade em poder repartir é sempre maior do que aquela que convida a acumular quando o próximo tem carência.
A semente que se nega a sucumbir na terra, para desdobrar-se na vida, morre na inutilidade.
Todavia, a que perece, esmagada no solo, revive com exuberância.
Toda doação é uma sementeira para o futuro, que a vida se encarrega de multiplicar.
Há moedas esquecidas que se podem tornar dádivas de importância, tais como a hospitalidade fraternal, a expressão de cortesia, o gesto de amizade, a participação no sofrimento alheio, o sorriso gentil, que não custam dinheiro e, em certos momentos, são mais valiosos do que ele.
A caridade que se converte em triunfo pessoal naquele que a recebe, é sempre luz inapagável na vida de quem a pratica.
Vive com otimismo na confiança integral em Deus e distribui alegria por onde passes.
Não deixes ninguém afastar-se de ti, sem que leve um traço de bondade ou um sinal de paz da tua vida.
Quem se aproximou de Jesus, nunca mais foi o mesmo, jamais O esqueceu.
Joanna de Ângelis, do livro Momentos de Renovação, psicografado por Divaldo P. Franco.

Anúncios

Sobre aricarrasco

sou simples mas co objetivos e convicções definidos.
Esse post foi publicado em Espiritismo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s